Radio Antena FM

Radio Antena FM
(Clique na imagem e assista e ouça ao vivo)

Sindicato dos Trabalhadores

Sindicato dos Trabalhadores

terça-feira, 21 de fevereiro de 2017

Avó confunde produto de limpeza com suco, dá a neta e bebê morre

Menina de 10 meses foi levada para a Santa Casa, mas não resistiu.

Polícia MilitarBebê morreu após beber produto de limpeza que estava em garrafa de suco
Bebê morreu após beber produto de limpeza que estava em garrafa de suco
De acordo com informações do boletim de ocorrência registrado pela Polícia Militar, a bebê, os pais e o irmão, de 4 anos, estavam passando a semana na residência dos avós por conta de uma infestação de escorpiões na casa onde família mora. Além dos avós, dois tios das crianças também moram no local.
Ainda de acordo com as informações, a avó fazia almoço na cozinha e o pai foi até o cômodo porque a menina estaria com fome, foi quando a avó pegou uma garrafa com rótulo de suco com um líquido que parecia ser suco de uva, colocou na mamadeira e ofereceu a bebê. Logo após beber o líquido, a menina começou a passar mal.
A família acionou o Serviço de Atendimento de Resgate de Urgência, que levou a bebê até a Santa Casa da cidade, mas ela não resistiu e morreu intoxicada.
O caso é investigado pela Polícia Civil como homicídio culposo. Na casa, a polícia apreendeu o recipiente com o produto de limpeza de coloração roxa; a garrafa com rótulo de suco, onde estava o líquido oferecido à criança de cor semelhante ao do produto de limpeza apreendido; e a mamadeira da vítima. O material será periciado.
Fonte: G1

Após discussão, jovem mata irmão a facadas no Agreste




Por Redação*

Cada Minuto/Arquivo
IML
Após uma discussão, um homem foi morto a facadas, pelo seu irmão,na madrugada desta terça-feira (21), no bairro São Francisco, no município de Palmeira dos Índios, Agreste alagoano.
Após uma discussão, Daniel de Oliveira, 19 anos, efetuou golpes de faca peixeira na região da barriga e das costas do seu irmão, Manoel de Oliveira Alves, 21 anos.
A vítima foi socorrida por uma equipe do Corpo de Bombeiros e levado para uma Unidade de Pronto Atendimento (UPA) no município, mas não resistiu a gravidade dos ferimentos. 
Daniel fugiu logo após cometer o crime, mas foi localizado em um trecho da BR-316 e foi preso. Ele foi encaminhado para a Delegacia Regional de Palmeira dos Índios. Segundo familiares, o acusado tem envolvimento com vários crimes como estupro, tráfico de drogas, roubos de celulares e pedofilia.
O corpo de Manoel de Oliveira Alves foi levado para o Instituto Médico Legal (IML) de Arapiraca.
*com Todo Segundo

quarta-feira, 15 de fevereiro de 2017

Pai descobre, via áudio de WhatsApp, que padrasto estuprava filha

Menina de 12 anos também era abusada por amigo do companheiro da mãe

Ilustraçãoestupro
“Só quero que você me mande as minha fotos”, diz parte do áudio entregue pelo pai de uma menina de 12 anos à polícia, em Caldas Novas, Goiás, como prova de que ela era estuprada pelo padrasto. Após a denúncia, Weber Aparecido, de 45, anos foi preso, junto com um amigo, o personal trainer Wellington Soro, 27, também suspeito de participar dos abusos. As mensagens do WhatsApp foram apresentadas pelo delegado Fernando Barbosa Martins, nesta terça-feira (14).
Companheiro da mãe da vítima há cinco anos, Aparecido é suspeito de abusar da criança há dois anos, desde que ela tinha 10 anos de idade. O delegado disse ao G1 que o padrasto fez sexo com a menina na frente do personal trainer, que passou a ameaçar de denunciá-lo “se ele não aliciasse a menina para ele”.
O pai da criança descobriu o abuso em janeiro passado, quando recebeu a menina em Novas Crixás, durante as férias. Weber Aparecido continuava pedindo fotos nuas à menina, e o pai as descobriu. Ao tirar satisfação com o padrasto, foi ameaçado de morte. A mãe da menina também viajou para Novas Crixás para encontrar a filha e passou a ser alvo de ameaças do atual companheiro.
Em um dos áudios para a criança, ele diz: “Cadê você, menina, aparece. Eu quero quatro fotos, manda logo que estou com pressa. Rapidinho, eu quero elas. Não é pra raspar, eu quero do jeito que tá (sic)”. “O padrasto passou a ameaçar a mulher e a adolescente de morte se elas não voltassem para Caldas. Como elas não voltaram, ele chegou a viajar para ir atrás das duas. O prendemos quando ele se preparava para matar a mãe da menina”, contou o delegado ao G1.
Weber Aparecido será enquadrado em crime de estupro de vulnerável, aliciamento de menor e mediação para lasciva de outrem. O personal trainer Wellington Soro, que foi preso nesta segunda-feira (13), responderá por estupro de vulnerável e aliciamento.
Fonte: Notícias ao Minuto

terça-feira, 14 de fevereiro de 2017



Mulher encomenda própria morte no DF e processa matador por não concluir “serviço”

Reprodução/Googlevara-civel-taguatinga
Uma mulher do Distrito Federal pediu à Justiça que anule o contrato em que “encomendava” a própria morte, após seguidas tentativas fracassadas de suicídio. Para justificar o cancelamento, a autora disse que apresentava quadro depressivo e que estava fora de suas condições normais.
O juiz negou os argumentos, decidiu contra a mulher e arquivou o caso. O processo corre em segredo de Justiça e, por isso, o G1 não conseguiu acesso aos dados da mulher e dos advogados que a defenderam no caso.
Na ação, a mulher relata que desenvolveu quadro “depressivo-ansioso crônico, com aspecto suicida”, e que teve a capacidade de trabalho comprometida por esse diagnóstico. Por não ter conseguido tirar a própria vida, ela firmou contrato com um “matador de aluguel”.
O acordo previa o pagamento de uma quantia em dinheiro e a transferência de um veículo para o homem, por meio de uma procuração. O documento possui cláusulas de irrevogabilidade. Porém, depois de receber o pagamento, o “assassino de aluguel” deixou de atender as ligações telefônicas da mulher e não executou o serviço.
A Justiça do DF tentou resolver o caso em audiências de conciliação, mas não houve acordo. O juiz responsável pelo caso, na 4ª Vara Cível de Taguatinga, ouviu uma testemunha e a mulher, que teria entrado em contradição ao falar sobre o “pacto de morte”.
Na decisão, o juiz entendeu que não há como validar o acordo sem comprovação documental, e que a procuração firmada entre as partes – para a venda do veículo – não necessariamente caracterizava as alegações da mulher.
“A autora não sofria qualquer mal que a inviabilizasse de manifestar vontade frente ao cartório público e, se o negócio jurídico realizado com base em uma manifestação de vontade em desacordo com o verdadeiro querer do agente, nas hipóteses de erro, dolo, coação, estado de perigo, lesão – os chamados vícios de consentimento – seria anulável”, afirmou.
Na sentença, o juiz disse ainda que, se existisse um contrato, cujo objeto do negócio fosse realmente o assassinato da mulher, ele não teria validade. “Impossível ou indeterminado o seu objeto, e o motivo determinante, comum a ambas as partes, for ilícito”, disse.
Fonte: G1

domingo, 12 de fevereiro de 2017

Homem é preso armado após denúncia de populares em Canapi
José Fagno da Silva, 28 anos, foi preso com um revólver calibre 38 e munições.
Por Ítallo Timóteo | radar89.com.br
11 de fevereiro de 2017 às 11:39
catsUma guarnição do Grupamento de Polícia Militar da cidade de Canapi, prendeu na tarde desta sexta-feira, 10, José Fagno da Silva, 28 anos, acusado de porte ilegal de arma de fogo e disparo em Via Pública.

Segundo a PM, populares ligaram para a polícia denunciando que havia um homem armado, inclusive ele tinha efetuado um disparo no meio da rua, os policiais foram até o local informado e ao chegar encontraram o rapaz. Sem qualquer reação, o homem foi abordado e durante a revista, os militares encontraram um revólver calibre 38 com munições.

Ele foi conduzido para a Delegacia Regional de Polícia (1ª-DRP) onde foi autuado em flagrante.

Deixe uma resposta

Após matar o pai, homem mata própria mãe

Após ficar preso apenas por cinco anos por ter matado o próprio pai, um dependente químico resolveu fazer o mesmo com a mãe.
A tragédia familiar ganhou um novo capítulo nesse sábado, numa das residências da Rua Jairo de Araújo Labre, no Jardim D’Abril, em Osasco, na Grande São Paulo, próximo ao limite com a capital paulista.
O corpo de Rosimeire Fátima de Toledo, de 51 anos, foi encontrado pela polícia ainda sobre a cama, com um corte profundo no pescoço.
Wengly Toledo Machado, de 27 anos, foi preso após ir até um salão de cabeleireiro e confessar que havia assassinado a própria mãe horas antes.
Também motivado pelo uso de drogas, em 2009 o acusado já havia matado o pai e também foi preso, mas, cinco anos depois, acabou solto pela justiça para morar com a mãe.
Desta vez, ao depor na delegacia, o assassino confessou o crime e disse que Rosimeire pediu que fosse morta.
O assassino vai ficar preso no Quinto Distrito Policial de Osasco até segunda-feira, quando passará por uma audiência de custódia e depois será encaminhado a um Centro de Detenção Provisória.
Fonte: Band

Após matar o pai, homem mata própria mãe

Após ficar preso apenas por cinco anos por ter matado o próprio pai, um dependente químico resolveu fazer o mesmo com a mãe.
A tragédia familiar ganhou um novo capítulo nesse sábado, numa das residências da Rua Jairo de Araújo Labre, no Jardim D’Abril, em Osasco, na Grande São Paulo, próximo ao limite com a capital paulista.
O corpo de Rosimeire Fátima de Toledo, de 51 anos, foi encontrado pela polícia ainda sobre a cama, com um corte profundo no pescoço.
Wengly Toledo Machado, de 27 anos, foi preso após ir até um salão de cabeleireiro e confessar que havia assassinado a própria mãe horas antes.
Também motivado pelo uso de drogas, em 2009 o acusado já havia matado o pai e também foi preso, mas, cinco anos depois, acabou solto pela justiça para morar com a mãe.
Desta vez, ao depor na delegacia, o assassino confessou o crime e disse que Rosimeire pediu que fosse morta.
O assassino vai ficar preso no Quinto Distrito Policial de Osasco até segunda-feira, quando passará por uma audiência de custódia e depois será encaminhado a um Centro de Detenção Provisória.
Fonte: Band